Gabriel Medina e a corrupção


O Brasil inteiro vibrou com a conquista de Gabriel Medina, o primeiro brasileiro a conquistar o posto mais alto do surfe mundial.

Paralelamente o país todo está perplexo com os dados da Operação Lava-Jato.
Enquanto vibramos com Medina, Neymar, Senna, Daiane dos Santos, Guga, Fabrício Werdun e outros expoentes do esporte que propiciam grandes alegrias aos brasileiros, outros nomes presentes no noticiário policial nos enchem de tristeza e decepção.

O caso da Petrobrás foge longe de qualquer outro caso de corrupção já tratado pela imprensa.
Com a maior desfaçatez técnicos, diretores, empresários, parlamentares, partidos políticos reconhecem desvios que chegam a atingir não somente bilhões de reais mas que mancham de forma indelével a imagem da maior empresa estatal brasileira.

A cada dia que passa a imagem da Petrobrás se desmancha feito pedra de gelo colocada ao sol.
Felizmente a ação firme do juiz Sérgio Moro, do MPF, e da PF tem dado a este caso a perspectiva de que as coisas não irão terminar em pizza.

É interessante observar de que não apenas os “corruptos” (que recebem dinheiro para facilitar licitações, etc.) mas, também os “corruptores” (que utilizam o dinheiro para obter vantagens à margem das regras e da lei) estão sendo presos.

É a grande novidade promissora que a Operação Lava-Jato está apresentando. Se existem os que “vendem facilidades” é porque do outro lado estão atuando os que “compram as facilidades” em busca da multiplicação dos seus lucros.

Naturalmente ainda estamos no início de um grande, complexo e rumoroso processo. Todos os envolvidos nas denúncias feitas pelos diretores da Petrobrás na “delação premiada” terão o direito a uma defesa ampla garantida pelo Estado Democrático de Direito.

Tenho a convicção de que a postura do juiz Sérgio Moro e do Ministro Teori Zawaski apontam numa direção que nos dá a certeza de que tudo prosseguirá até o seu desfecho final, doendo a quem doer.
Não sou daqueles que profetizam que após a Operação Lava-Jato os atos de corrupção irão cessar.
Infelizmente algumas pessoas continuarão sonegando impostos, outras pixando monumentos, algumas recebendo propinas, outras pagando propinas, etc. Mas, com certeza, a Operação Lava-Jato marcará profundamente a história do combate à corrupção em nosso país.

Não é nenhum exagero comparar o atual momento brasileiro com a Operação Mãos Limpas italiana, que foi uma das maiores faxinas já vistas no mundo deixando um grande legado do combate à corrupção por toda a Europa.

O que espero e torço, junto com milhões de brasileiros, é que num futuro próximo tenhamos muito mais alegrias do que decepções com os nomes que irão ser destacados pela nossa imprensa. Que os Medinas, Werduns, Gugas, Neymars, Sennas, sejam os grandes nomes a embalar o noticiário e o cotidiano dos brasileiros.

Fonte: fortunati.com.br

0 comentários :: Gabriel Medina e a corrupção

Enviar um comentário